fbpx

Picape monobloco e picape chassi, você sabe a diferença?

Com o avanço dos estudos e da tecnologia, cada vez mais as montadoras mundiais estão investindo no lançamento de veículos monobloco, em especial picapes. Hoje temos no Brasil a Chevrolet Montana, a Fiat Toro, a Fiat Strada, a Renault Oroch, a Ford Maverick, a Volkswagen Saveiro e, mais recentemente, a Ram Rampage – todas com estrutura monobloco. Elas se diferenciam das picapes com chassi longarina, como é o caso da Chevrolet S10, da Ford Ranger, da Mitsubishi L200 Triton, da Nissan Frontier, da Toyota Hilux, da Volkswagem Amarok e de outros modelos de picapes grandes.

Mas você sabe a diferença entre monobloco e chassi? Muitos consumidores têm essa dúvida e nós vamos ajudar a esclarecer. Na verdade, trata-se do sistema construtivo do veículo. As picapes intermediárias e as grandes normalmente são construídas com base num chassi, que são duas longarinas que formam uma estrutura e sobre esse esqueleto são acoplados os sistemas mecânicos, a carroceria e a caçamba. 

No caso dos modelos monobloco não temos o chassi e essas longarinas. O veículo é montado em uma estrutura única e a carroceria é projetada para receber os componentes mecânicos que são acoplados diretamente na lataria, não tendo necessidade de um chassi propriamente dito. 

A imagem mostra uma caçamba de picape com uma capota instalada aberta pela metade e um braço pegando um objeto que está no interior da caçamba.

Uma característica bem visível nas picapes monobloco é que a cabine não tem separação da caçamba, formando uma estrutura única. Já nas picapes com chassi essa divisão é bem evidente. Elas têm um vão entre a cabine e a caçamba, o que facilita a identificação.

A imagem mostra uma caçamba de picape com uma capota instalada aberta pela metade e um braço pegando um objeto que está no interior da caçamba.

Vantagens e Desvantagens

Mas o que é melhor: o sistema monobloco ou o chassi? Aí depende! Ambos oferecem as suas vantagens e desvantagens. Em relação às questões de escoamento de água, por exemplo, o modelo com chassi leva vantagem. Como no monobloco não existe divisão entre a caçamba e a cabine, a água que escorre do teto e até da própria capota ou de qualquer fechamento da caçamba não consegue escoar como deveria e acaba acumulando nessa região. E isso pode trazer problemas com relação à entrada de água no veículo. “É mais desafiador desenvolver acessórios com boa performance para o fechamento e a vedação de caçambas de veículos monobloco justamente porque não há um bom escoamento de água na região entre a cabine e a caçamba e ela acaba acumulando ali”, revela o nosso gerente de inovação Maicon Boschetti.

Outra vantagem da picape com chassi é que ela é mais robusta e tem maior capacidade de tração, podendo receber e transportar mais carga.
Ou seja, essas picapes são projetadas para aguentar o “tranco”. Em contrapartida, o modelo monobloco é mais leve, mais compacto, oferece maior espaço interno, tem mais ergonomia e maior rigidez, o que o deixa com melhor estabilidade de rodagem. Por ser mais versátil e mais fácil de montar, tem também menor custo, o que é bem atrativo, não é mesmo?

Mas tem outro ponto bastante importante: a sustentabilidade ambiental e a eficiência energética. Como o monobloco tem rigidez maior com um peso menor, oferece mais desempenho e economia de combustível. Em tempos de grande pressão mundial pela redução na emissão de carbono e gases de efeito estufa, essa é uma vantagem a ser considerada.

A imagem mostra uma caçamba de picape com uma capota instalada aberta pela metade e um braço pegando um objeto que está no interior da caçamba.

E não é à toa que o monobloco tem se mostrado uma tendência em crescimento em todo o mundo. Dos oito grandes lançamentos de picapes em 2023 no Brasil, quatro deles são monobloco. Até mesmo a Land Rover até a versão 4 da Discovery tinha chassi e carroceria, apesar de não ser picape. A Discovery 5 já veio com uma estrutura monobloco, em um SUV de mais de duas toneladas.

 

A imagem mostra uma caçamba de picape com uma capota instalada aberta pela metade e um braço pegando um objeto que está no interior da caçamba.

“Justamente pelas questões de ergonomia, peso, rigidez estrutural, estabilidade e economia que o monobloco tem se destacado entre os lançamentos mundiais”, destaca Boschetti. O nosso gerente de inovação também acrescenta a flexibilidade construtiva desse sistema, o que proporciona mais liberdade ao projeto do que a estrutura com chassi. Quanto mais as montadoras estão avançando na tecnologia e conseguindo colocar mais robustez, capacidade de carga e aplicações no monobloco, mais elas estão apostando no lançamento de veículos que antes só se conseguia produzir com chassi. É uma tendência que só deve crescer nos próximos anos, porque esse parece ser o objetivo da indústria automotiva mundial: trazer cada vez mais todas as características e vantagens do monobloco para as picapes. Legal, né?

A imagem mostra uma caçamba de picape com uma capota instalada aberta pela metade e um braço pegando um objeto que está no interior da caçamba.

Se Inscreva